Facebook RSS Twitter
Seja bem-vindo! Hoje é Terça-feira, 13 de Novembro de 2018.
RELEASES

Cistos sinoviais são os tumores mais frequentes da mão, e cirurgia tem 90% de efetividade

 Popularmente conhecidos como “caroços no punho”, os cistos sinoviais são o tumor benigno mais frequente da mão, ou seja, a causa mais comum de aparecimento de nódulos ou tumorações nesta região. O dorso do punho é o local mais comumente afetado, seguido pela região palmar do punho e dedos.
 
A teoria mais aceita para a origem do problema descreve a formação de uma “bexiga” de sinóvia - líquido viscoso, alcalino e transparente que se encontra nas articulações - causada por uma degeneração da cápsula articular do punho, tecido que recobre os ossos formando as juntas.
 
Os cistos sinoviais são mais frequentes no sexo feminino, e a maioria dos casos surgem entre os dez e os trinta anos de idade. O aparecimento pode estar relacionado a um evento traumático em até um terço dos casos, mas na maioria das vezes, ocorre sem motivo aparente.
 
Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), Milton Pignataro, o tratamento varia de acordo com o tamanho e localização dos cistos. Os cistos muito pequenos (< 0,5 cm) são mais difíceis de serem puncionados e se assintomáticos, não necessitam de qualquer intervenção.
 
Nos cistos muito pequenos ou localizados nos dedos ou palma das mãos, a punção é mais difícil e menos efetiva. Nestes casos, quando o paciente sente dor, é recomendado a ressecção cirúrgica dos mesmos. Também está indicada a cirurgia nos cistos maiores que recidivaram após punção prévia.
 
A punção de cistos maiores é possível e resolve o problema definitivamente em cerca de 50% dos casos. Ela pode ser realizada no consultório com segurança, além de ser pouco dolorosa. O cisto é puncionado diretamente com uma agulha e seringa, procurando-se retirar o líquido viscoso e amarelo claro, muito parecido com um gel, que recheia o cisto. Após seu esvaziamento, a injeção de um corticoide em seu interior (no mesmo ato da sua punção) diminui a taxa de recidiva e é recomendada.
 
“Geralmente os pacientes procuram o consultório devido a um pequeno nódulo que aparece sem qualquer motivo e vai aumentando de tamanho progressivamente. É muito comum o paciente relatar que ele diminui quando o punho é menos solicitado e aumenta quando o paciente realiza atividades forçadas ou movimentos repetitivos”, afirma o Dr. Milton Pignataro.
 
Cirurgia
 
A cirurgia para retirada do cisto é relativamente simples e muito segura, resolvendo o problema em cerca de 90% dos casos. O cisto pode voltar a se formar em cerca de 10% dos casos e a recidiva pode estar relacionada a uma ressecção incompleta da base do cisto.
 
A ressecção artroscópica é bem indicada nos casos de cistos com um componente intra-articular importante e é uma alternativa menos invasiva à técnica aberta tradicional.
 
Vale lembrar que os cistos não são nódulos cancerígenos e não se espalham para outras áreas.

Pense antes do BOM DIA GRUPO
Filosofando sobre a conduta no "Whats"   [...]
Jornalista da Predicado colabora em reportagem da revista Gestão & Negócios
A jornalista Carolina Fagnani, diretora executiva da Predicado Comunicação Empresarial foi conv [...]

55 11 4930-2006
predicado@predicadobrasil.com.br

Avenida Imperatriz Leopoldina, 263
Sala 14 - Nova Petrópolis
CEP 09770-271
S. Bernardo do Campo – SP

Atendimento: segunda a sexta-feira,
das 9h as 18h

Predicado © 2013, Todos os direitos reservados.  | Política de Privacidade | Direitos Autorais | Fale Conosco